quarta-feira, 28 de julho de 2010

Quem me dera houvesse trem...

...bala.

É meio bobo e sem-pé-nem-cabeça falar sobre uma cidade que você visitou poucas vezes e, nas vezes que foi, não conheceu muitos lugares diferentes, apenas perambulou pelos mesmos bairros e bares e com as mesmas pessoas. Mas, porém, contudo, no entanto, todavia e tudo mais, há algo nela que me cativa. Seja pelas pessoas, pela maneira que elas vivem, pelo clima sempre descontraído, pela rabugice bem-humorada, pelo constante contato com pontos turísticos mesmo estando em algum lugar bem longe de tudo... ou seja, simplesmen... principalmente, pelas pessoas que lá encontro e pelas histórias -algumas vezes patéticas, outras vezes bonitas, engraçadas e todas as vezes, no mínimo, interessantes - que sempre acabo trazendo na mala junto com as roupas sujas, descansador de copos roubados de algum bar qualquer como lembrança, câmera digital e até pseudo-drogas (pseudo, disse eu!).
São diversos os motivos pelos quais já fui a esse antro de sem-vergonhice, canalhice e gente suja que aprendi a gostar. Amigos, mulher, mulher, amigos, falta de opção, vontade de fugir, vontade desesperada de curtir férias etc. E sempre volto com uma sensação boa - além da barba gigante.
Aí me encontro ouvindo músicas de paulistanos que adoram o Rio, mas tem São Paulo como seu lugar e divago: Será que estou nessa situação? Mas logo coloco os pés no chão e me respondo que não. Óbvio que não.
Meu lugar é Santos, sempre vai ser. Com todos seus defeitos, com seu enorme jardim cheio de ratos, com seu centro morto, com, no máximo, 3 ou 4 famílias que mandam e desmandam na cidade (desde quanto vai passar a custar um imóvel até mover a feira de uma rua para outra), sem bares com músicas boas e opções baratas no menu... É, não dá pra enumerar todos os percalços pelo qual passa um boêmio wannabe em Santos, mas, por mais estranho que possa parecer - e parece - é o meu lugar e me orgulho dele. Mesmo cultuando um time que não é do meu coração, mesmo enaltecendo políticos que nunca me disseram, realmente, a que vieram... Com todos esses gols contra, gosto daqui. Tudo isso para expressar que não divido o mesmo ponto de vista da frase de tal banda, que é de São Paulo.
Também não navego no mesmo barco que eles, pois, ao que me parece, nunca largariam sua cidade-natal. Eu sim. Sempre dá vontade. Já deu e já o fiz, mas nada muito arrasador e rebelde o bastante. E voltei. Porém, ir morar em outro estado me traz aquele frio bom no estômago que parece que é causado por asas de borboletas do jardim da orla de... Santos.
Quem sabe... Partiu?

Trilha Sonora: Pullovers - Tudo Que Eu Sempre Sonhei (2009)

2 comentários:

  1. Tcheli - intcheligenti e sensual29 de julho de 2010 05:42

    Mas neeem pense em tirar os pés daqui. Ouviu bem?
    Que eu vou aí e acabo logo com essas brabuletas no teu istrombago.
    Copiô?

    ResponderExcluir